24/03/2020

Produtores da região se unem para garantir oferta de alimentos

Foto: Marcos Labanca/POD

Produtores da região se unem para garantir oferta de alimentos

 

Integrantes do Programa Oeste em Desenvolvimento defendem ações governamentais para manter a produção e a circulação de produtos e insumos essenciais à população.

 

Instituições, cooperativas, agroindústrias e produtores rurais que fazem parte do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) estão mobilizados para garantir a oferta de alimentos durante a pandemia de coronavírus. As demandas são apresentadas aos governos estadual e federal solicitando medidas para manter a população suprida.

 

O objetivo é resguardar a cadeia ligada à alimentação de eventuais efeitos provocados por medidas emergenciais adotadas nas cidades. São produtores do campo, indústrias de transformação e sistema de transporte de cargas e mercadorias que precisam seguir trabalhando e operando para que não ocorra escassez ou falta de alimentos.

 

As reivindicações e sugestões do setor produtivo da Região Oeste são encaminhadas ao Governo do Paraná e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). "Queremos que a ação governamental garanta a geração e livre circulação de alimentos, alinhadas às medidas preventivas ao novo coronavírus que foram implantadas pelo setor produtivo", sublinha Danilo Vendruscolo, presidente do POD.

 

Vice-presidente do POD, Elias Zydek lembra que cooperativas, agroindústrias e produtores rurais já adotam medidas de sanidade e segurança da qualidade dos alimentos em suas atividades regulares, fora de períodos de crise. No momento atual, somam-se aos controles sanitários a criação de comitês e a implantação de procedimentos de acompanhamento e prevenção da covid-19.

 

"Em todos os contatos com autoridades estaduais e federais deixamos muito claro que a cadeia de fornecimento de alimentos deve ser protegida pelos governos", enfatiza. "Não se trata de aspectos econômicos e financeiros, mas uma questão de sobrevivência das pessoas", pondera Elias Zydek, que também é diretor-executivo da Frimesa.

 

Aves, suínos e peixes

 

Presidente da Coopavel, Dilvo Grolli reforça a preocupação com frigoríficos de aves, suínos e peixes das cooperativas da região. "São atividades essenciais para os produtores rurais e para a sociedade na produção e no abastecimento de alimentos", frisa.

 

"Supermercados estão trabalhando e precisam continuar sendo abastecidos. O campo e a cidade não suportam qualquer paralisação. É por isso que nossos governos devem garantir medidas capazes de assegurar a fluidez da produção e oferta de alimentos", pontua Dilvo Grolli.

Abastecimento dos supermercados é essencial para a população - foto Agência Brasil/Arquivo

No Brasil

 

Nessa segunda-feira, 23, o Ministério da Infraestrutura enfatizou o pleito do setor produtivo em videoconferência entre o ministro Tarcísio Gomes de Freitas e os governadores do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). O órgão irá realizar ações conjuntas com governadores e autoridades estaduais para evitar que iniciativas locais prejudiquem o sistema de abastecimento de alimentos e insumos básicos.

 

A adoção de mecanismos para a produção e livre distribuição de alimentos também é debatida por instituições nacionais que representam o setor industrial. Esses entendimentos estão sendo conduzidos junto ao governo federal, Câmara dos Deputados e Senado Federal e se baseiam em medidas já adotadas por países como Estados Unidos, Alemanha e China, também submetidos ao coronavírus.

 

Assessoria: (Programa Oeste em Desenvolvimento)

01/04/2021

Decifrando o pedágio

Nesta entrevista, o presidente do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Rainer Zielasko, fala sobre a nova proposta de pedágios no Paraná e a mobilização da população e entidades pelo pedágio sem outorga. De uma maneira clara e objetiva, Zielasko decifra o termo “outorga” e explica o porquê desta modalidade ser tão prejudicial à região, bem como o impacto na vida de cada cidadão.

16/03/2021

Programa Oeste em Desenvolvimento comemora conquista de área livre sem vacinação

O Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reconheceu o Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação. O ato foi oficializado por meio da Instrução Normativa (IN) 52, assinada pela ministra Tereza Cristina e publicada ainda no exercício de 2020.

15/03/2021

Em dez anos, valor do pedágio será 70% maior

A nova proposta do Ministério de Infraestrutura para a licitação do pedágio no Paraná, para o período de 30 anos (de dezembro de 2021 a dezembro de 2051), prevê uma arrecadação (sem correção) de R$ 156 bilhões. Não se assuste! É isso mesmo. Um valor que, aos preços de hoje, dá para comprar três milhões e 120 mil carros populares.