28/05/2021

Certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação inaugura um novo tempo no Paraná

Certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação inaugura um novo tempo no Paraná

O Paraná conquistou na manhã desta quinta-feira (27) a certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação, resultado de uma luta de mais de 50 anos do Governo do Estado e do setor produtivo. O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) protagoniza essa luta e nos últimos cinco anos intensificou todas as estratégias para que o resultado fosse possível. O novo status sanitário foi confirmado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em cerimônia virtual da 88ª Sessão Geral da Assembleia Mundial dos Delegados da OIE, em Paris, na França.

O governador Ratinho Júnior reconheceu o esforço e comemorou junto com as entidades e o setor produtivo a conquista. “O Paraná lutava há décadas por essa chancela, que vai mudar o patamar de produção da pecuária paranaense, que já é bastante forte. Com o apoio das entidades do setor produtivo, organizamos toda a estrutura de sanidade animal e fizemos a lição de casa”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

O POD foi representado na ocasião pelo segundo vice-presidente e coordenador da Câmara Técnica de Sanidade Animal, Elias José Zydek, que avaliou como uma das maiores conquistas do setor nós últimos anos. “Inaugura um novo tempo de segurança para a produção e para o crescimento dos negócios. O esforço alcançou seu propósito maior e todos os esforços seguiram para que seja mantida e ampliada a certificação da segurança sanitária”, avalia.

Para o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o principal recado que o Paraná passa é mostrar ao mundo uma estrutura produtiva mais desenvolvida e sadia, com um serviço de inspeção sanitária de qualidade. “Tudo isso vai refletir em novos negócios e na geração de empregos, que foi o motivo para lutarmos por essa chancela. O aumento na produção, com a expansão de novas plantas e abertura de mais turnos, significa mais gente trabalhando”, relatou em reconhecimento aos parceiros que não mediram esforços para que a certificação fosse realidade.

O Estado obteve reconhecimento nacional do Ministério da Agricultura e Pecuária em agosto do ano passado e aguardava pela validação da OIE, que também reconheceu os pleitos do Rio Grande do Sul e do Bloco I (Acre, Rondônia e parte do Amazonas e do Mato Grosso). Além da aftosa, a entidade deu a chancela ao Paraná de zona livre de peste suína clássica independente. Desde que o último foco da doença foi confirmado, em 2006, o governo e o setor produtivo se organizaram para melhorar a estrutura sanitária paranaense, o que incluiu a criação da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), o reforço da fiscalização nas divisas e o controle dos rebanhos.

A imunização contra a aftosa no Estado foi interrompida em 2019 e a campanha de vacinação, que acontecia duas vezes por ano, foi substituída pela campanha de atualização de rebanhos. O cadastro é obrigatório para garantir a rastreabilidade e a sanidade dos animais.

Nos últimos anos também foi realizado um extenso inquérito epidemiológico, com coletas de amostras do sangue de quase 10 mil animais em 330 propriedades rurais, provando que o vírus já não circula no Paraná. O Programa Oeste em Desenvolvimento participou ativamente de todos os processos e monitorou cada avança para a conquista da certificação.

PRODUÇÃO – Maior produtor e exportador de proteína animal do País, com liderança em avicultura e piscicultura, o reconhecimento internacional vai ajudar a abrir mercados para a carne paranaense e outros produtos de origem animal, com a possibilidade de comercialização a países que pagam melhor pelo produto, como Japão, Coreia do Sul e México. Em 2020, o Estado produziu mais de 5,7 milhões de toneladas de carne de porco, boi e frango, quase um quarto do que foi produzido no País. O Estado é responsável por 33% da produção nacional de frango e 21,4% em piscicultura, liderando os setores.

13/07/2021

POD analisa proposta do Estado sobre o novo modelo de Pedágio

O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) reuniu nesta segunda-feira (12) na Associação Comercial e Empresarial de Cascavel (ACIC) a sua mesa diretora e Câmara Técnica de Infraestrutura e Logística, além outras entidades para apresentar informações sobre a Proposta do Governo do Estado em relação às concessões de Pedágio no Paraná. Desde o início dos debates, o POD luta por um modelo mais justo e menos oneroso, considerando que o Paraná sofreu com os altos preços nas últimas décadas. A luta uniu a Região Oeste e reflete a vontade popular, além do setor produtivo que atinge toda a base econômica regional.

02/07/2021

Oeste em Desenvolvimento reúne Conselho de Administração e lideranças regionais

O Conselho de Administração do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) realizou a 2ª reunião ordinária no último dia 30 de junho. Com participação expressiva de líderes regionais, o CONSAD debateu pautas e os principais desafios do desenvolvimento territorial. A reunião online por causa da pandemia foi sediada e coordenada da sede da Associação Comercial e Empresarial de Palotina (ACIPA) e congregou participações de quase todas as cidades da Região Oeste.

24/06/2021

Câmara Técnica do POD aposta no fortalecimento dos pequenos negócios

A Câmara Técnica Ambiente dos Pequenos Negócios, que pertence ao Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) reuniu-se novamente terça-feira (22) para validar ações e avançar nas propostas elaboradas durante o workshop que reuniu de forma hibrida todos os setores do POD para traçar estratégias par ao desenvolvimento territorial do Oeste no começo de junho.